fabricante: Olympikus

O Olympikus Rio 4 faz parte de uma linha de tênis voltada para a Maratona do Rio – já que a Olympikus é a patrocinadora mor da maratona. Isso porque o calçado apresenta uma razoável qualidade a um preço bem abaixo dos concorrentes regulares. Algo que é bastante louvável na excelente marca brasileira.

Este modelo Olympikus apresenta um drop de 12mm, além de uma pisada neutra um pouco alta e levemente supinada. Mas o que se destaca mesmo na peça é seu cabedal com uma malha de sobreposição que permite circulação interna de ar, como também impermeabilidade.

Alocado na categoria Competição, este interessante modelo pode sair abaixo dos R$ 200, sendo uma grata opção para se ter em tempos de crise. Confira no review em que preparamos os prós e contras em adquirir o Olympikus Rio 4.

  • Especialistas
  • Usuários
1 a 20 21 a 40 41 a 60 61 a 80 81 a 90 91 a 100

Média Geral

3 usuários: 79 / 100

2 especialistas: 80 / 100

Dê a sua nota:

prós

  • Ventilação

    O Olympikus Rio 4 apresenta uma ventilação de excelência. O cabedal é respirável e a palmilha funciona como suporte a esta característica, já que apresenta furos em seu material para ajudar na respirabilidade.

  • Sem costuras

    O cabedal não possui costuras. Ótimo! Quando um tênis de competição não apresenta costuras ao longo de seu cabedal, é um ótimo sinal.

  • Flexível

    Apesar do clipe no calcanhar promover certa rigidez, o tênis se mostra muito flexível. Tanto na frente, como nos lados, o tênis é muito maleável.

  • Estável

    Adotando uma placa de plástico na região do solado, o Rio 4 promove uma boa estabilidade ao corredor.

  • Tração

    Apresenta uma boa tração com seu acabamento em duas borrachas diferentes. Adotando uma mais grossa no antepé e outra mais preenchida na região do calcanhar.

  • Preço

    O preço é maravilhoso. Abaixo dos R$ 200. Quer mais que isso? Poucos tênis no mercado apresentam um valor tão bom assim.

Contra

  • Palmilha áspera

    Apesar de o cabedal não apresentar costuras, a palmilha áspera poderá ser a grande responsável por bolhas nos pés.

  • Pesado

    Um tênis de competição jamais pode ultrapassar os 200g. Tênis de alta qualidade, e voltado para competição, precisa ter, no máximo, 220g. Mais que isso é pesado, sim!

  • Falta do último furo

    O último furo é essencial, sobretudo para que o ajuste possa ser corrigido pelo próprio comprador.

  • Ajuste

    É ele quem dita a falta do último furo. O ajuste do calçado é péssimo. Talvez o principal ponto negativo da peça. Exatamente na região do último furo, um dedo indicador adulto pode ser encaixado no espaço que sobra no interior do tênis.

  • Desgaste do solado

    De durabilidade baixa, o Olympikus Rio 4 apresenta desgaste rápido no solado. Isso faz com que o tênis não chegue nem perto dos 500 quilômetros.

Avaliações especialistas

Mais Positivo

Aline

O tênis é confortável e embora ele pareça fininho, o pé se acomoda super bem. Ele também é maleável, sem deixar de ser firme e garantir segurança nas passadas. Também possui a tecnologia EVAPRO e GRIPPER no solado, que oferece maior absorção de impacto, aderência e propulsão.

Mais Negativo

Raimunda Célia

A maciez e flexibilidade do tênis me agradaram muito, aposentei meu anterior e vou correr a Family Run da maratona com ele! No entanto, por ser um tênis mais baixo estou acostumada, achei a impulso dele menor e senti um pouco nos primeiros treinos. Depois acostumei.

OUTRAS AVALIAÇÕES

  • Aline

    O tênis é confortável e embora ele pareça fininho, o pé se acomoda super bem. Ele também é maleável, sem deixar de ser firme e garantir segurança nas passadas. Também possui a tecnologia EVAPRO e GRIPPER no solado, que oferece maior absorção de impacto, aderência e propulsão.

  • Raimunda Célia

    A maciez e flexibilidade do tênis me agradaram muito, aposentei meu anterior e vou correr a Family Run da maratona com ele! No entanto, por ser um tênis mais baixo estou acostumada, achei a impulso dele menor e senti um pouco nos primeiros treinos. Depois acostumei.

Atributos

  • Tecnologia

    Utiliza a tecnologia EVAPro. Um EVA que busca proporcionar boa qualidade à pisada. Proporcionando, assim, promessa de leveza e flexibilidade.

  • Durabilidade

    O Olympikus Rio 4 apresentou uma durabilidade extremamente baixa, sobretudo no solado. Diversos avaliadores profissionais reclamaram de desgastes pontuais e expressivos na sola do calçado após míseros 80 quilômetros de uso.

  • Amortecimento

    Por ser um tênis de competição, o Olympikus Rio 4 não apresenta tanto amortecimento. A passada é leve e responsiva, de certo ponto, macia, mas pouco se percebe ação de um EVA tão pesado como o EVAPro.

  • Flexibilidade

    O tênis é deveras flexível na região frontal. O EVA, em conjunto ao tecido do cabedal, proporciona excelente flexibilidade na parte superior e lateral do calçado.

  • Ventilação

    A ventilação é boa. Talvez a melhor qualidade do calçado. Visto que há cabedal e palmilha trabalhando muito bem nisso para promover excelente respirabilidade à peça.

  • Aderência da Sola

    Apesar do alto desgaste da peça com poucos quilômetros de rodagem, percebe-se, sim, uma excelente qualidade de tração do calçado, apesar da baixa qualidade do mesmo.

Características

  • Cabedal

    Cabedal

    Tecido em material sintético de ótima ventilação e excelente respirabilidade interna.

  • Entressola

    Entressola

    Um EVA pesado que promove pouca maciez, amortecimento pouco percebido, mas ainda assim confortável – visto que se trata de um tênis para competição.

  • Solado

    Solado

    O solado é produzido em duas borrachas diferentes. A borracha do antepé é mais aderente, enquanto que a borracha do calcanhar é voltada para maior firmeza, tração e retorno de energia.

ANÁLISE

O Olympikus Rio 4 foi lançado como de praxe pela empresa brasileira para celebrar a Maratona anual do Rio de Janeiro. Um tênis com muitas críticas, voltado para competição, mas ainda assim bastante em conta. Analisando de perto, há muita coisa a se corrigir neste calçado, sim. Entretanto é preciso avaliá-lo sob a ótica do preço, e não num método comparativo a tênis superiores de outras marcas.

A flexibilidade é um exemplo. Bastante flexíviel, este quarto modelo da linha Olympikus Rio se destaca em demasia. Até porque é preciso que um tênis de competição seja muito flexível, dada às longas distâncias aos quais os corredores estão sujeitos. A flexibilidade implica no conforto, e este deve, sem dúvidas, ditar o ritmo de um tênis de competição, assim como a ventilação.

Em longas distâncias, o pé acaba suando bem mais do que o normal. Por isso é preciso de um tênis com boa respirabilidade no cabedal. O Olympikus Rio 4 proporciona isso. E, além do mais, ainda adota uma palmilha com leves furos responsáveis por auxiliar na ventilação interna do calçado. Umidade será coisa do passado com esse calçado.

Outro ponto importante a se ressaltar é a tração. Apesar de ela ser excelente, e não acumular críticas, seu desgaste é notável. Com pouco mais de cem quilômetros rodados, nota-se claramente um desgaste abrupto na região do solado. Mas o que realmente incomoda nem é o desgaste, e sim o ajuste do calçado. Faltando o último furo, o tênis apresenta péssimo ajuste do pé ao colocá-lo. Sendo notado à primeira vista o espaço que sobra na parte interna do calçado.

Nosso veredicto? É verdade, o tênis apresenta muitos defeitos, sim. É o ajuste, a palmilha áspera, o desgaste, o mau acabamento, o design, o EVA duro e por aí vai. Apontando um por um, com certeza o número de pontos negativos deve bater os positivos – mensurando calmamente. Entretanto, o preço do tênis faz todos estes pontos negativos caírem. Por R$ 149, o Olympikus Rio 4 se torna um interessante modelo para quem não quer gastar muito, e ainda ter um retorno, ao menos, intermediário.

REVIEW MODELOS ANTERIORES

Olympikus Rio 3

O Olympikus Rio 3 foi um dos melhores dentre os quatro modelos bastante medíocres da linha Rio, da marca brasileira. Resistente, forte e rápido. O Olympikus Rio 3 tem suas qualidades, mas ainda assim acumula defeitos.

Uma biqueira estreita, região do arco plantar também estreito, mas ainda assim bastante folgado. Para uma empresa que deseja bater de frente com os gigantes, a Olympikus ainda precisa investir mais e mais.