fabricante: 361 Degrees

O 361 Zomi 2 faz parte da linha de calçados mais baratos, da categoria running, da 361. Custando um preço bastante atrativo, o tênis apresenta excelentes potenciais logo de cara, e pode ser uma opção para os que desejam um tênis funcional e barato.

A linha é pouco conhecida no mercado nacional, tendo chegado ao público no início de 2016. O que se vê, à primeira vista, é um tênis que aposta num mashup das características de inúmeros tênis do mercado.

Lembrando muito um Olympikus, o 361 Zomi 2, na aparência, se mostra um tênis bastante atrativo. Mas será que a funcionalidade corresponde à primeira impressão da face do calçado? Vamos descobrir!

  • Especialistas
  • Usuários
1 a 20 21 a 40 41 a 60 61 a 80 81 a 90 91 a 100

Média Geral

3 usuários: 88 / 100

1 especialistas: 86 / 100

Dê a sua nota:

361° Zomi 2 é bom?

Prós

  • Respirável

    O mesh do calçado se vê com leves buracos ao longo do cabedal, promovendo alta respirabilidade do calçado, como também impede entrada de água na parte interna.

  • Leveza

    O tênis apresenta um peso excelente para um tênis de corrida de baixo valor. Nada exagerado nos enchimentos, a 361 acerta em apostar na leveza para um calçado de performance.

  • Lingueta

    A lingueta larga impede que ela caia para os lados. Dessa forma, o corredor não é atrapalhado pelo desconforto.

  • Durabilidade

    Com inúmeros reforços com costuras ao longo de todo o cabedal – incluindo biqueira e contraforte –, o calçado se mostra bastante durável, e com expectativa de vida alta, que ultrapassa facilmente os 1000 quilômetros.

  • Reflexivo

    Com refletivos na biqueira e contraforte, este tênis pode ser uma excelente opção para os corredores noturnos.

  • Flexibilidade

    O tênis é bastante flexível ao longo de toda sua extensão, não apresentando qualquer resistência para uma possível passada dura. Extremamente suave para a corrida do atleta.

Contras

  • Costuras

    As costuras, como sempre ressaltado, podem provocar bolhas e calos nos pés. O excesso de costuras no 361 Zomi 2 tem como ponto negativo essa possibilidade em alguns formatos de pé.

  • Estabilidade

    A ausência da placa de estabilidade encontrada nos atuais modelos pode ser um ponto justo para considerar adquirir um 361 ou não. O tênis já é bastante flexível, e sem uma placa de estabilidade para sustento, pode deixar a desejar dependendo do tipo de terreno.

  • Conforto

    A parte interna do calçado deixa muito a desejar com um tecido áspero e pouco cômodo para o pé. Apesar do bom encaixe do pé, o tecido interno do 361 Zomi 2 é bastante incômodo, dando a sensação de que pinica constantemente ao longo do trajeto.

Avaliações especialistas

  • André da Silva

    Apesar do tecido interno ser desconfortável, ele não é um tênis que aperta os dedos. É bem interessante a forma do calçado, e isso agradou muito!

Atributos

  • Tecnologia

    A tecnologia QDP (Quick Dynamic Performance) envolve três camadas de amortecimento em EVA que são combinadas para promover absorção de impactos e uma devida propulsão para o corredor, com menor gasto de energia.

  • Durabilidade

    As costuras, reforços na biqueira e contraforte, além do mesh em tecido duplo dão cara a um tênis bastante firme e que se mostra resistente a todo e qualquer tipo de terreno. No entanto, as costuras de reforço podem provocar bolhas e calos ao corredor.

  • Flexibilidade

    Um tênis extremamente flexível, com boa capacidade moldar-se às passadas. Entretanto, a ausência da placa de estabilidade, pode promover com que os tornozelos permaneçam soltos, variando de acordo com o terreno e a pisada exigida.

  • Ventilação

    O mesh é em tramas abertas, possibilitando boa ventilação interna e evitando entrada de água.

  • Aderência da Sola

    O solado é predominantemente em borracha, o que promove excelente tração e proporciona ótima arrancada ao corredor.

Características

  • Cabedal

    Cabedal

    Em mesh, com costuras ao longo de toda sua extensão. Reforços na biqueira e contraforte dão sustento e corroboram para a excelente durabilidade do calçado.

  • Entressola

    Entressola

    Tecnologia QDP. Um mix de três tipos de EVA desenvolvidos pela 361 para promover amortecimento e retorno de energia para o corredor a cada passada.

  • Solado

    Solado

    O solado predominantemente em borracha possibilita boa tração na corrida – mesmo em dias chuvosos –, além de uma excelente arrancada.

ANÁLISE

O 361 Zomi 2 engloba um tênis de qualidade intermediária e com excelente custo/benefício ao comprador. Por se tratar de uma marca pouco conhecida no mercado nacional, a desconfiança impera. No entanto, tratando-se de termos qualitativos, o Zomi 2 não deixa a desejar, assim como diversos modelos da ainda jovem 361.

Apesar de alguns pontos negativos bastante sobressalentes, o modelo da 361 exibe bons destaques. Isso porque o tênis apresenta um peso que gira em torno dos 250g, sendo um ponto de grande atração para os corredores de performance. A leveza propicia velocidade, e esse é o nome do meio do Zomi 2.

Além disso, o 361 Zomi 2 possui tramas abertas, e um mesh bastante respirável, o que é ideal para os corredores de meia maratona, principalmente. Um mesh de qualidade, com tecido promovendo respirabilidade e impedindo a entrada de água. Ademais, a qualidade do cabedal em mesh, como também da entressola e do solado, propiciam uma excelente flexibilidade ao calçado. Um ponto que chama bastante atenção para a exaltação, como também para as críticas.

Isso porque a ausência de uma placa de estabilidade em um solado tomado apenas por borracha pode provocar leves desvios na pisada, comprometendo tendões e articulações na região do calcanhar. Portanto, dependendo do terreno, é bom ter grande atenção para quando for utilizar-se do 361 Zomi 2.

Assim como a flexibilidade é um detalhe para elogiar e criticar, há também o ponto alto da durabilidade, que é bastante controverso. A presença de costura e reforços na biqueira, contraforte e lateral do calçado é, sem dúvidas, digna de aplausos. Afinal, contribuem para uma durabilidade maior do calçado. Entretanto, o enorme número de costuras também pode ser um agravante nas bolhas que poderão surgir.

Nosso veredicto? O 361 Zomi 2 é um tênis bastante atraente, de uma marca ainda desconhecida no Brasil. Sob um preço deveras atraente para suas qualidades, ele pode ser, sim, um tênis a se cogitar em meio a compra. No entanto, é necessário sempre avaliar os pontos contrários do calçado, para não se surpreender no futuro com desconforto causado por um interior áspero ou um tênis demasiadamente flexível. Em suma, é um calçado, sim, para avaliar em meio a compra de um tênis de corrida voltado para performance.

REVIEW MODELOS ANTERIORES

361 Zomi

O 361 Zomi é o primeiro modelo da marca chinesa ainda pouco conhecida no Brasil. Adotando leveza, tecnologia e baixo custo, este tênis para corrida chega ao mercado ainda sob desconfiança, mas com aspectos de tirar o fôlego.

Utilizando a tecnologia QDD (Quick Dynamic Defense), o 361 Zomi oferece estabilidade, bom amortecimento e velocidade ao corredor. Além disso, a leveza do calçado propicia ao corredor uma performance maior a um baixo custo em comparativo aos demais encontrados no mercado.