fabricante: Saucony

O Saucony Ride 10 chega como um gigante na performance. Com um acabamento interessante, boa resposta de entressola e potencial de conforto, o modelo acaba por superar as expectativas, e pode ser o trunfo da Saucony para conquistar o mercado nacional.

O primeiro detalhe que chama a atenção é o peso que se manteve estabilizado após a mudança no corpo da peça. Mais aerodinâmico, o calçado abandona uma quantidade maior de tecido de cobertura no cabedal em relação ao modelo anterior.

Outro ponto de qualidade diz respeito à entressola, que, além do TPU utilizado, agora aposta também em uma injeção de espuma EVA com a adoção de uma nova tecnologia. Novidades estas, capazes de manter a Saucony em um alto patamar e trazer o Ride 10 ameaçar os gigantes da corrida de desempenho no Brasil.

  • Especialistas
  • Usuários
1 a 20 21 a 40 41 a 60 61 a 80 81 a 90 91 a 100

Média Geral

0 usuários: 0 / 100

3 especialistas: 84 / 100

Dê a sua nota:

Saucony Ride 10 é bom?

Prós

  • Conforto

    Várias descrições de especialistas e usuários destacaram o conforto da peça. O Saucony Ride 10 possui um acabamento interno que harmoniza o encaixe entre o pé e o interior do calçado. Num bom acomodar, a passada se torna uniforme sem a necessidade de incrementos tecnológicos. Tornando mais natural, o pé guia o calçado, e não o contrário.

  • Ventilação

    O tecido que recobre o cabedal foi alterado. Com maior qualidade, a respirabilidade da peça foi potencializada e uma maior circulação de ar. Esse detalhe pode ser percebido de um modelo para o outro, apesar de não ser um problema no Ride 9.

  • Leveza

    O peso se manteve estável e era isso que desejavam os corredores. Um tênis leve na medida certa que não sacrifica o conforto. A ideia era uma entressola ligeiramente robusta (em se tratando de um tênis de performance) para proporcionar uma corrida sem qualquer adesão de impacto ao calcanhar do corredor, principalmente.

  • Versatilidade

    Apesar de ser um tênis de corrida destinado aos treinos, provas podem muito bem ser enfrentadas com estes calçados. Por priorizarem o conforto, uma corrida de 15 quilômetro pode ser facilmente desbravada. Além disso, sua durabilidade corrobora para uma versatilidade notável.

  • Resistente

    O acabamento e os materiais adotados contribuem para um calçado de alta durabilidade. Ultrapassando os mil quilômetros, é um modelo adequado para se investir por longos anos.

  • Performance

    A responsividade do calçado, aliada a nova forma aerodinâmica do calçado, potencializam a performance da peça. Abrangendo os corredores de provas curtas (entre 5k e 15k), ele não deixa na mão no quesito velocidade.

  • Flexibilidade

    Bastante maleável, a flexibilidade foi uma característica muito elogiada. Isso porque a região do antepé apresenta pouca injeção de espuma e TPU, bem como conta com apenas 17mm de altura, tornando-se um modelo significativamente flexível.

  • Evolução

    Em relação ao Ride 9, uma evolução foi perceptível. Acompanhada da manutenção de muito do que funcionou no modelo anterior, o Ride 10 chega com uma proposta similar, apostando em inserções pontuais para melhorar a experiência do corredor.

Contras

  • Tração em superfícies molhadas

    Infelizmente a tração deixa a desejar em superfícies molhadas. Não sendo totalmente confiável, a borracha injetada no solado realmente desapontou os corredores.

  • Drop sutilmente alto

    Mantido o problema que dizia respeito a um drop sutilmente alto. Esperava-se que, com o lançamento do Ride 10, uma redução para um drop de 6mm na linha.

Avaliações especialistas

Mais Positivo

Bill Harris

O Ride 10 tem uma ótima combinação de amortecimento, flexibilidade, além de ainda ser leve

Mais Negativo

Sole Review

Via: SoleReview

O Ride 10 é um tênis simples e versátil. Uma entressola de espuma EVA e Everun Topsole oferecem uma experiência de amortecimento direto, adequado para uma variedade de corridas, e o novo cabedal utiliza mais malhas e menos tecido sintético.

OUTRAS AVALIAÇÕES

  • Michael Mason-D'Croz

    A maior questão para mim é a falta de aderência da sola. Quando eu preciso estar completamente consciente do tempo antes de escolher um modelo, essa questão me sobe uma segunda voz na consciência, questionando se devo levar este calçado.

Atributos

  • Tecnologia

    Saucony Ride 10 não aposta muito na tecnologia. A intenção é de manter uma maior naturalidade à pisada. Contudo, usufrui brevemente, sobretudo na entressola, com a ideia de anular a absorção de impacto na aterrissagem. Entre as principais tecnologias estão:

    - PWR Foam: espuma de entressola que, além de durável, é demasiadamente responsiva;

    - Everun: TPU adotado na construção da entressola para absorver os impactos da aterrissagem;

    - Triflex: adotada no solado, a tecnologia tem a proposta de promover flexibilidade e excelente grip (ao menos em superfícies secas);

  • Durabilidade

    Contando com materiais de ótima qualidade na escolha de composição, o Ride 10 é um tênis moldado para durar. Com sobreposições em regiões pontuais, é um modelo capaz de perdurar por longos quilômetros, servindo tanto para treinos diários como para provas.

  • Amortecimento

    Funcionando através do bom encaixe entre a Everun (que permaneceu) e a novidade, o PWR Foam, que além de promover boa flexibilidade à peça, também apresenta uma boa proposta de resistência - apesar da inexistência de maciez na aterrissagem.

  • Flexibilidade

    A boa flexibilidade é graças tanto a tecnologia Triflex do solado em combinação à espuma de entressola que se concentra em maior proporção na região frontal da peça, promovendo maior maleabilidade da região, ideal para propulsão.

  • Ventilação

    O tecido que recobre o cabedal possibilita uma boa circulação de ar no interior da peça. A respirabilidade se mantém constante e não aquece o pé do corredor.

  • Aderência da Sola

    Mediana, por se tratar da limitação em superfícies molhadas. Do contrário, em superfícies secas, o calçado apresenta um bom grip.

  • Material

    Seguindo a mesma linha da tecnologia, o material adotado no Saucony Ride 10 explora a qualidade, mas o minimalismo em mesma proporção. Dessa forma, o tênis adota:

    - Engineered Mesh: recobrindo o cabedal com sobreposições pontuais, este composto protege o pé, mantém o conforto e não abre mão da boa ventilação.

    - IBR+: aditivo ao solado que auxilia numa maior flexibilidade, maior aderência e estabilidade à passada.

Características

  • Cabedal

    Cabedal

    A nova engenharia de cabedal propiciou um maior conforto no encaixe do pé à peça. O “abraço” é sentido e o conforto imediatamente surge. A ventilação aumentou e o calçado, no todo, proporciona maior conforto.

  • Entressola

    Entressola

    Combinação de TPU e espuma que encaixou muito bem. A qualidade da entressola do calçado é notada a partir de sua disposição no calçado que corrobora para uma boa transição de passada após aterrissagem.

  • Solado

    Solado

    Adotando a tecnologia Triflex, o calçado incorpora um bom grip de aderência às superfícies, preferencialmente, secas.

ANÁLISE

O Saucony Ride 10 chega evoluindo em relação ao seu antecessor – que, por sinal, já havia mostrado uma evolução em relação ao Ride 8. Dessa forma, nota-se que a Saucony busca, constantemente, aperfeiçoar seus modelos, escutando, sobretudo, a opinião de especialistas e, principalmente, seu público. Uma marca com um grande prestígio no estrangeiro que busca o mesmo no Brasil. Pode ser que o Ride 10 seja o modelo para emplacar de vez em terras nacionais.

Novidades e manutenções que agradaram no Saucony Ride 10

A novidade fica por conta de uma entressola que alia o TPU e o EVA, proporcionando leveza, absorção de impacto e flexibilidade. Dessa forma, um tênis que corresponde a proposta de melhorar o desempenho do atleta, oferecendo não só responsividade, como também propulsão.

A manutenção do peso foi percebida e elogiada. Quem gosta da linha Ride elogia constantemente o peso da peça, que não abusa de elementos que acabam sobrecarregando a balança, bem como é perceptível senti-lo no pé. Os cerca de 250g permaneceu e foi bastante elogiado.

Problema que persistiu

A questão da altura do calcanhar persistiu. Mantendo-se a altura do modelo anterior, esse detalhe acabou desagradando parte dos corredores. Isso porque é um detalhe que fez diferença no Ride 9 em ser mais próximo do chão e potencializar a responsividade do calçado.

Considerações finais

Assim como o Ride 9, entretanto, os pequenos problemas falam baixo sobre os grandes elogios a um modelo de qualidade. Bastante elogiado, o Saucony Ride 10 chega como um concorrente forte no mercado de performance. Sendo confortável, flexível, leve e suficientemente amortecido, o resistente modelo tem tudo para valer o investimento.