fabricante: Nike

Nike Air Zoom Structure chega à sua 22ª versão. Indicado para pessoas de pisada pronada, esta nova versão traz melhorias significativas que deixaram o modelo ainda melhor, especialmente para quem deseja um calçado que forneça um controle de movimentos de qualidade.

  • Especialistas
  • Usuários
1 a 20 21 a 40 41 a 60 61 a 80 81 a 90 91 a 100

Média Geral

0 usuários: 0 / 100

2 especialistas: 76 / 100

Dê a sua nota:

Nike Air Zoom Structure 22 é bom?

Prós

  • Estabilidade

    Usuários do modelo elogiaram a eficiência de controle de movimentos do Nike Structure 22

  • Durabilidade

    Nike Air Zoom Structure 22 recebeu boas críticas a respeito da sua durabilidade, tanto do cabedal quanto do seu solado.

  • Conforto

    Alguns usuários ressaltaram o conforto proporcionado pela engineered mesh presente na construção do cabedal do Structure 22

  • Tração

    Nike Air Zoom Structure 22 agradou alguns corredores que notaram o excelente poder de tração do calçado.

  • Estilo

    Além de entregar um suporte de qualidade, Nike Structure 22 tem ganhado bons elogios a respeito do seu estilo.

Contras

  • Ajuste

    Alguns usuários notaram que o contraforte deste modelo possui um ajuste que não deixa o calcanhar tão firme o quanto gostariam.

Avaliações especialistas

Mais Positivo

Road Runners Sport

Nike Air Zoom Structure 22 vai fazer você esquecer tudo o que sabe a respeito de calçados de estabilidade!

Mais Negativo

Tênis Book

Nike Air Zoom Structure 22 continua sendo um dos melhores tênis da marca para corredores que buscam tênis com suporte e estabilidade

Características

  • Cabedal

    Cabedal

    O cabedal do Nike Air Zoom Structure 22 recebe construção em engineered mesh, uma malha projetada elástica, leve e altamente respirável. Ela confere flexibilidade e muito conforto ao cabedal.

  • Entressola

    Entressola

    Nike Structure 22 é composto por uma entressola de dupla densidade que foi desenvolvida para pessoas de pisada pronada. A tecnologia responsável por garantir este suporte é a Dynamic Support, ela é composta pelas espumas Cushlon e Phylon. O resultado é uma entressola responsiva e flexível na parte frontal com uma parte traseira firme e estável.

  • Solado

    Solado

    O solado é composto por dois tipos de borracha: Duralon e BR 1000. Juntas conferem flexibilidade, tração, proteção e durabilidade ao Structure 22

Atributos

  • Tecnologia

    Flymesh: cabedal composto por engineered mesh que garante respirabilidade, flexibilidade e leveza para o tênis.
    Dynamic Support: entressola de dupla densidade que confere suporte para quem necessita de estabilidade.
    Dynamic Flywire: cabos leves e resistentes que trabalham junto dos cadarços para fornecer um ajuste firme, confortável e personalizável.
    Zoom Air: unidade de material termoplástico que contém ar pressurizado em seu interior.

  • Amortecimento

    O amortecimento do Structure 22 está garantido pela tecnologia Zoom Air, que consiste em uma peça composta por material termoplástico que contém ar pressurizado em seu interior.

  • Ventilação

    O cabedal em engineered mesh confere alto poder de ventilação ao Structure 22, garantindo pés secos e uma corrida confortável.

  • Durabilidade

    O solado do Nike Air Zoom Structure 22 possui dois tipos de borracha: Duralon e BR 1000, ambas garantem uma excelente proteção contra o desgaste do solado.

  • Aderência da Sola

    Além de durabilidade, solado do Nike Air Zoom Structure 22 oferece uma corrida segura com a presença da borracha Duralon, que garante a tração e a aderência da sola.

ANÁLISE

Nike Air Zoom Structure chega à sua 22ª versão. Indicado para pessoas de pisada pronada, esta nova versão traz melhorias significativas que resultaram em um tênis capaz de oferecer um suporte ainda melhor.

Cabedal

Com um cabedal mais elegante Nike Air Zoom Structure 22 apresenta um novo elemento na composição da sua engineered mesh: o Nylon. Com a sua presença, além da elasticidade e ventilação, este material adiciona ainda mais leveza e durabilidade ao cabedal.

Mas o que não pode faltar mesmo neste modelo Nike é estabilidade. Por isso a presença da tecnologia Dynamic Flywire é tão necessária. Ela consiste em cabos leves e resistentes localizados na lateral do cabedal. O cabos trabalham em conjunto com a amarração do cadarços para abraçar mediopé e travar tênis ao pé. Desta forma, Structure 22 garante um passeio estável, seguro e livre de deslizamentos.

Os cabos FlyWire recebeu atualização. Na versão 21 o modelo recebia os cabos apenas nos dois últimos passadores. Já o Structure 22 recebe cabos Flywire em todos os furos. Esta melhoria traz um ajuste mais firme e maior garantia de estabilidade durante a corrida.

cabos de material leve e resistente que se integram aos cadarços para promover firmeza, estabilidade e suporte aos mediopé. Esta tecnologia é capaz de travar o calçado aos pés, garantindo que não haja deslizamentos durante a corrida, além de colaborar para passadas mais naturais.

E já que estamos falando da tecnologia FlyWire, a Nike modificou a localização e o número de cabos na nova versão do Structure. A versão 21 apresentava cabos FlyWire apenas nos dois últimos ilhoses, já o Structure 22 recebe cabos em todos os passadores de cadarço. Essa melhoria com certeza traz ainda mais firmeza no ajuste e estabilidade durante a corrida.

Entressola     

A mesma entressola da versão passada pode ser vista no Structure 22. Ela apresenta dupla densidade e é composta por duas espumas desenvolvidas pela Nike. A combinação das espumas Cushlon e Phylon resultaram em uma entressola capaz de dissipar de maneira homogênea as forças de cada impacto, que fornece um amortecimento responsivo e de firmeza moderada.

A configuração desta entressola recebe o nome de Dynamic Suport, uma tecnologia capaz de oferecer estáveis para pessoas que possuem pronação excessiva do movimento dos pés. Com ela, corredores e corredoras conseguem alcançar uma movimentação mais neutra do pé durante as passadas.

Para complementar o sistema de amortecimento do Nike Structure 22, o modelo conta com a unidade Air Zoom presente na região do antepé. Ela garante amortecimento e retorno de energia durante a fase final de cada passada.

Solado

Nike Air Zoom Structure 22 mantém a configuração do solado presente em sua versão passada.

A maior parte do solado é composto pela borracha Duralon. Ela passa por um processo de fabricação que resulta em uma borracha mais leve, macia e elástica do que a borracha comum.

A Duralon está presente na região composta pelos padrões Waffle, esta cominação resulta em um solado flexível que apresenta ótima tração e aderência ao solo.

Nas regiões de maior desgaste do solado, Nike Air Zoom Structure 22 recebe a borracha de alta resistência nomeada BRS1000. Ela confere durabilidade e tração extra durante as passadas.

Conclusão

A nova versão do modelo Structure prova que é possível unir estética e funcionalidade. Afinal, Nike Air Zoom Structure 22 é um calçado bonito e capaz de oferecer corridas cheias de conforto e com um dos melhores sistemas de controle de movimento do mercado.

REVIEW MODELOS ANTERIORES

Nike Air Zoom Structure 20

Nike apresentou em setembro deste ano (2016) a nova edição do tênis para corrida de melhor estabilidade e maior durabilidade do mercado: Nike Air Zoom Structure 20. Seu primeiro modelo chegou às prateleiras em 1991 e levava o nome Nike Structure Triax. Sim, este modelo já passou da casa dos 20, mas tem apenas 20 edições porque seu lançamento não era anual como hoje em dia!

Destinada para oferecer suporte e controle de movimento a praticantes de corrida que possuem pisada pronada, este produto está nos pés tanto de corredores de fim de semana quanto nos de profissionais. Estemotion control da Nike é tão reconhecido por seu desempenho que não precisamos ir muito longe para dar exemplos! Nas Olimpíadas do Rio o maratonista norte americano Galen Rupp calçava o modelo Air Zoom Sructure quando subiu ao pódio para receber a suada medalha de bronze. Rupp, que há anos vem gastando solas e mais solas de Nikes Structure, foi o primeiro não africano a ganhar uma prova olímpica de maratona desde Atenas em 2004.

Bom, só nos resta agora destrinchar este Nike para que você entenda toda essa fidelidade de Rupp ao Nike Air Zoom Structure, que chega à sua vigésima edição.

Solado

Na sola podemos perceber três áreas de diferentes cores. Cada uma possui materiais e funções diferentes. O material que encontramos por toda a parte dianteira da sola é o Duralon, que no Structure 20 possui menos maciez, porém aprensenta mais aderência e tração.

Na região do calcanhar temos um solado com padrões waffles menores e fabricação em borracha reciclada (a matéria prima inclui diversos tipos de borracha). Mesmo não recebendo adição de carbono em sua composição, como temos na borracha Nike BRS1000, a borracha reciclada do Structure 20 possui durabilidade satisfatória.

Nestas duas regiões, que ocupam a maior parte do solado,  temos os padrões waffle que além de colaborar com a flexibilidade, são responsáveis por garantir tração e aderência mesmo que haja mudança de superfície durante a corrida.

Por toda a lateral externa do solado encontramos uma borracha sólida com flex grooves que ajudam na ainda mais na tração do calçado. Sua função é reduzir o esforço em cada pisada, servindo com um guia por toda a transição.

Entressola

Na entressola encontramos dois materiais: Cushlon ST e Phylon. A primeira camada da entressola recebe o Cushlon em sua versão ST, que é utilizada em calçados de estabilidade da Nike por ser mais densa e oferecer um amortecimento mais firme, fator essencial para corredores de pisada excessivamente pronada, pois garante mais estabilidade durante o treino. A espuma Cushlon foi por muito tempo o material de entressolas mais elaborado pela marca até o surgimento do Lunarlon, que hoje oferece ainda mais resposta e durabilidade aos calçados. Cushon ST foi desenvolvido especialmente para calçados de estabilidade, mas já está presente em calçados neutros como o Nike Air Zoom Pegasus 33.

Abaixo do Cushlon podemos encontrar a espuma Phylon, que também possui uma forte presença nas entressolas Nike. O Phylon se apresenta em uma densidade menor e com mais maciez. Este arranjo feito pela marca reduz a rigidez do amortecimento que era alvo de reclamações de alguns corredores.

A união destas duas espumas é feita por um processo que utiliza o calor, eliminando o risco de descolamento que o uso de colas trazia. E esta união feita entre Phylon e Cushlon ST é o que resulta na tecnologia Dynamic Suport: uma entressola de dupla densidade que garante a total estabilidade para corredores com pisada pronada.

Nike Air Zoom Structure 20 oferece um amortecimento firme e cheio de estabilidade. E para adicionar mais satisfação ao uso deste tênis para corrida, podemos encontrar no antepé a estrutura Air Zoom, uma cápsula de ar comprimido com dupla função: amortecer os impactos da parte frontal dos pés e transformá-lo em retorno de energia. O que não é uma novidade para os fãs, já que o Air Zoom não apresenta modificações em relação ao modelo Structure 19.

Cabedal

O cabedal é fabricado em malha de tramas abertas, que recebe o nome de FlyMesh. Esta malha possui alta respirabilidade e oferece ótimo suporte para os pés. Além disso colabora na redução do peso total do calçado e é uma peça de construção de construção única, isso significa que não possui costuras internas adicionando ainda mais conforto.

No interior do cabedal ainda existe uma suave malha que proporciona um calce de sensação “like-sock” por abraçar os pés como uma meia. Este adicional fornece porções extras de conforto, proteção e ajuste.

A estrutura de laçada do Structure 20 traz a sistema de ajuste Dynamic Fit que traz como principal agente a tecnologia FlyWire, que são cabos de pouquíssimo peso e alta resistência que trabalham juntos ao cadarço. Sua função é fornecer pressão em locais estratégicos para manter a firmeza dos pés, claro, sem restringir os movimentos ou causar desconforto para o corredor.

Uma novidade nesta edição é que os cabos FlyWire aparecem apenas nos dois primeiros ilhoses da parte superior. Acredita-se que esta mudança foi a solução para uma das reclamações sofridas pelo modelo anterior: excesso de pressão. Se analisarmos bem fará sentido, pois quem tem pisada pronada possui o arco dos pés com pouquíssima ou nenhuma curvatura, ocupando ainda mais espaço na região medial do calçado. Com cabos FlyWire por toda esta região é bem provável que este tiro sairia pela culatra. Mas mesmo com esta mudança, Structure 20 continua oferecendo garantia de ajuste e suporte de qualidade para corredores de pisada pronada.

Conclusão

Nike Air Zoom Structure 20 apresentou poucas mudanças em relação ao modelo anterior. Mas pelo que se nota, cada alteração só potencializa o desempenho de aclamado tênis de estabilidade. Seu preço está dentro da margem de lançamentos Nike, oferecendo um excelente custo benefício para os consumidores.

Nike Air Zoom Structure 19

A versão 19 do Nike Air Zoom Structure está pronta para oferecer o desempenho necessário no suporte a corredores de pisada pronada.  Graças ao Dynamic Suport, este tênis para corrida mantém os pés no lugar até mesmo em casos de pronação excessiva.

FlyMesh traz ao cabedal do Structure 19 um ajuste perfeito, com respirabilidade e, pra que corre e pensa em estilo, esta nova versão apresenta novas cores no cabedal.

A entressola apresenta tripla densidade, garantindo total apoio em um amortecimento firme e responsivo. Além de ótima absorção de impactos, a entressola deste Nike  foi desenvolvida para oferecer total suporte aos corredores de pisada pronada com conforto e segurança.

O solado apresenta os padrões waffle garantindo aderência, tração e ainda mais flexibilidade com borracha de alta durabilidade. Os Flex Grooves em alguns locais da sola adicionam ao solado a capacidade de oferecer um ciclo de marcha mais natural.